Sexta-feira, 27 de Fevereiro de 2009

...

Os Números Reais          A Circunferência

 

Equações do 2º grau          Trigonometria

 

 

 

Os Números Reais

 

 

Dízimas 

 

Resumos e Fórmulas

 

 

 

A Circunferência

 

Resumos e Fórmulas

 

 

Equações do 2º Grau

 

Resumos e Fórmulas

 

Trigonometria

 

Resumos e Fórmulas

 

 

UMA HISTÓRIA DE QUASE NADA

 

 

 

Era uma vez um um.

Ora isto não parece nada estranho, mas é.

Porque se começarmos a história assim, ficamos com a ideia de que há mais do que um um, o que não é verdade. Um há só um.

Portanto, recomecemos.

Era uma vez o um.

Pela mesma ordem de razões, já nem vou dizer que era uma vez um dois nesta história. Porque embora se trate de um dois, parecendo um número mais acompanhado do que o um, a verdade é que também só há um dois, o que faz dele um ser tão solitário como o primeiro.

O primeiro? Eu disse o primeiro? Não. Pensando positivamente, o primeiro será o zero (nada de pensamentos negativos, para evitar perder-me lá atrás no menos infinito, onde nem se sabe sequer como as histórias começam). Dizia eu, então, que o primeiro será o zero, embora pareça bizarro que coisa nenhuma possa ser o primeiro seja lá do que for e tenha tanta importância neste mundo. Mas é a verdade dos factos. Com isto tudo, já perceberam que o um é que é o segundo. E, claro, o dois é o terceiro.

  Apresentadas as personagens, avancemos o possível com tão pouco...

 Ora bem, os três, quero dizer (para não haver confusão), o zero, o um e o dois, encontraram-se para tomar chá e pensar nas coisas da vida.

Ai, dizia o zero, nada me corre bem! É espantoso como nenhuma coisa boa acontece, como ninguém me dá valor, como este vazio, esta (in)existência se prolongam sem qualquer solução à vista!

O um, compadecido com a posição do zero, (à esquerda, naturalmente, e sem capacidade absorvente), tentou animá-lo, mas com pouca convicção, pois também ele  estava a passar um momento único e difícil sentindo-se completamente neutro e invisível: Oh zero, um dia destes vais descobrir que isto não é nada, que tudo se irá resolver num instante. Duma coisa podes estar certo, um amigo compreensivo é a única coisa que pode ajudar numa altura destas. E, olha, mais vale um um na mão do que um dois a voar...

O dois, farto daquele diálogo sem rumo, e acossado pela insinuação do um, furtou-se ao triálogo triste que poderia ter nascido ali e recorreu ao monólogo para expressar  o seu duplicado enfado: Mas que par vocês me sairam! Que dupla inconsequente! Que tal o dobro da luta para sair do dilema? Lamúrias são só um dueto de queixumes... Eu cá vou-me embora desta história parada! Bom proveito para o  duelo de lamentações! Quem sabe encontro por aí o três para uma sequência com futuro. Não há duas (dois) sem três... e dois olhos vêem melhor que nenhum ou que um, rematou em jeito de vingança, fazendo reverter a seu favor a sabedoria popular sempre à mão de qualquer um (ou dois, ou mais).

E esta história não tem um fim, porque seria preciso saber o que aconteceu ao dois e ao três, talvez ao quatro e assim sucessivamente... até mais infinito.

O melhor é não esperar...  e ir com eles para ver! Para fazer acontecer...

 

Os textos podem ser utilizados com indicação do nome da autora 

Teresa Martinho Marques

publicado por ana às 00:18
link do post | comentar | favorito
|
Este Blog dedica-se à postagem de fotos,artigos e videos que circulam livremente na internet. Qualquer anomalia ou problema de funcionamento e/ou copyright não é da responsabilidade deste Blog, dado que o mesmo se baseia em hiperligações ou links. Eventuais reclamações e outras solicitações deverão ser feitas unica e exclusivamente nas respectivas fontes de origem. Ana Márcia

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Assuntos tratados no blog

. álgebra e geometria

. circunferência e polígonos. rotações

. dicionário de matemática

. equações

. estatística

. estatística e probabilidades

. geometria

. matemáticos

. multiplicação

. números reais. inequações

. proporcionalidade inversa. representaçõe

. raizes quadradas

. resumo global da matéria

. sistemas de equações

. software matemático

. testes online

. trigonometria

. uma calculadora "web 2.0"

. todas as tags

.posts recentes

. ...

. Estatística

.arquivos

. Setembro 2009

. Junho 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

.últ. comentários

isso é uma besteira se agente nn entende na escola...
Quero aprender a matematica
a=(2²)³,b=8³,c=16-³, a.d.c &ea...
nao consigo fazer o teste de matematica
fico ridiculo isso nao era o que eu estava procura...
obrigado mesmo, o meu professor pediu um glossário...
Muito Obrigado pelo resumo ando no 9º Ano e a minh...

.mais comentados

4 comentários
1 comentário

  

ESCREVE-ME

POR MAIL...

 

OU ENTÃO

Deixa recadinho...

clica na caixa em cima

        Mais  Disciplinas que fiz

   

 

 

 

 


Free Blog Content

Professor Cardy
A Matemática, um ABC do xyz
cardy

Página que disponibiliza conteúdos que estão divididas em centenas de exercícios, desafios, curiosidades, biografias, simulados e muito mais.

       Ilusões

Entretenimento

 

Ciência /  Utilitários

Sítios com muita Matemática

Software

 

     Pedra Filosofal
 
“Eles não sabem que o sonho
é uma constante da vida
tão concreta e definida
como outra coisa qualquer,
como esta pedra cinzenta
em que me sento e descanso,
como este ribeiro manso
em serenos sobressaltos,
como estes pinheiros altos
que em verde e oiro se agitam,
como estas aves que gritam
em bebedeiras de azul.Eles não sabem que o sonho
é vinho, é espuma, é fermento,
bichinho álacre e sedento,
de focinho pontiagudo,
que fossa através de tudo
num perpétuo movimento.
Eles não sabem que o sonho
é tela, é cor, é pincel,
base, fuste, capitel,
arco em ogiva, vitral,
pináculo de catedral,
contraponto, sinfonia,
máscara grega, magia,
que é retorta de alquimista,
mapa do mundo distante,
rosa-dos-ventos, Infante,
caravela quinhentista,
que é Cabo da Boa Esperança,
ouro, canela, marfim,
florete de espadachim,
bastidor, passo de dança,
Colombina e Arlequim,
passarola voadora,
pára-raios, locomotiva,
barco de proa festiva,
alto-forno, geradora,
cisão do átomo, radar,
ultra-som, televisão,
desembarque em foguetão
na superfície lunar.
Eles não sabem, nem sonham,
que o sonho comanda a vida.
Que sempre que um homem sonha
o mundo pula e avança
como bola colorida
entre as mãos de uma criança.”
                                                     António Gedeão
RSS